terça-feira, 26 de março de 2013

Não




Melancólico suspiro;
do último sentido habitante do corpo.
Esvaído e oco.
Com a boca mendicante da última gota,
último resquício do que foi corpo.
Língua passeia à chaga.
Implora saliva, seiva e vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário