terça-feira, 27 de setembro de 2011

Vai.
Que te sinto indo.
Vai que o que eu precisava para a espera já me disse.
Sinto que não está em você.
Só me diga as vezes que está em mim,
Um [acaso] para me sacudir.
Para que eu me sinta em você.
Vai
(não me abandone)
Eu estou aprendendo a não te precisar.
Vai e me respira as vezes de perto.
Para que não incorra no pecado,
de transformar a ausência em mágoa.
Vai e me cuida em você.
E me volta inteiro.
[que estou te sendo]
Ainda que ferido.
Mas te (me) devolva

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário