sábado, 24 de setembro de 2011

36

Começando minha Dezembrite.

Há verdades incontestáveis as quais não consigo aceitar. Eu tenho quase 36 anos.
Como uma roupa que não se ajusta ao corpo, sentada na mureta do estacionamento tenho os mesmos olhos perdidos de espera de há 25 anos.

Uma criança. Uma contração involuntária exigindo alimento [fome de mundo]. Ávida buscando o seio, seguindo o cheiro de boca aberta e salivante, porém, de olhos fechados. Não posso conciliar certos sentidos.

De olhos cerrados desfruto dos sentidos, sentido, tomando o leite como surpresa. Raquítica, me mantenho sobre pernas secas e tremulantes de deficiencia, magreza, os olhos saltados típicos da fome e cada alimento um orgasmo, delírio.

Não me alimente de uma vez, não suporto. Sou carente. Gota a gota.

Não comporto meus 36 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário