segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Moeda

És o novo e o antigo.
Todos meus acessos.
Meus avessos.

Toma minha mão.
Guia cega em meus reversos.

Me tira daqui.
Dessa casa desabitada,
    [dentro de mim]

Me guia.
Me ensina a luz do dia.
Seus escuros são meus.
    [entre os dentes.]

Não importa clandestino.
    [não marginal]
Mesma moeda.
Desatino.

Habita-me.
O mesmo.
    [inverso]
Signo.
Avesso.
    [Acesso]
    (In Verso.)

Um comentário:

  1. Um Show dw inspiração amiga, beleza de versos,esta casa vazia, que tantos amores abrigaste, há de ser a morada do mais lindo amor,com o perfume da Primavera e as cores das flores.A voce um belo fim de semana com paz e muito carinho.
    Meu carinhoso abraço Katia.
    Bju de luz nos seus dias.

    ResponderExcluir