terça-feira, 26 de abril de 2011

Dentro



 
Me amo no amor que tu me tens.
Nos passos que retrocedes
As pistas que me deixas.
Estampado no corpo;
O que  negas todo o tempo.
Me encontro a caminho.
Colhendo das migalhas que deixaste.
O silencio do que não dizes.
Estou tão dentro que não me encontras.

3 comentários:

  1. Poesia pura!!!

    ResponderExcluir
  2. Há...andas efectivamente recolhida poeticamente falando...

    O recolhimento produz .

    beijos

    ResponderExcluir