quinta-feira, 7 de abril de 2011

Casa desabitada

   


            Minha casa desabitada. 
     As partículas de poeira numa dança frenética contra a luz.
     A casa desabitada, sem o cheiro do café coado, sem a cama desarrumada e a certeza da chave rodar na fechadura.
Minha casa desabitada. Os sons reverberam em ecos dos cantos escuros. 
Minha casa tem as janelas baixas. O trinco quebrado. As frestas no telhado.
Mas minha casa desabitada.

4 comentários:

  1. As reações provocadas não se reduzem as 3 opções . Senti tristeza desabitada ...

    um beijo.

    ResponderExcluir
  2. RS... Tristeza desabitada... bonito isso.. .bjãoooo

    ResponderExcluir