segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Meu.

Queria uma dor que fosse só minha.
Minha, assim de posse.
Egoísta.
E mesquinha.
Eleger algo só meu.
Nem que seja o nada.
E nada fosse.
E que fosse repleto de mim.
Transbordar de eu.
E fosse só meu.

3 comentários:

  1. Como uma pérola ...

    Notável :)

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Transbordar de eu..."

    Bela poesia/imagem. Impactante Kátia.

    beijo

    ResponderExcluir
  3. Um surto como te disse....rs..
    Obrigada Flor... bjão...

    ResponderExcluir