domingo, 29 de agosto de 2010

Lua cheia


Não ligo realmente de viajar. Até gosto. Não me importa muito quantas horas terei de passar dentro de um carro, sacolejando, esticando e encolhendo minhas pernas compridas, tiro os sapatos, cruzo e descruzo as pernas, coloco-as sobre o painel, um verdadeiro balé. Não me importo.

Não sei se já disse mas, não dirijo. Comodo para mim. Não me importo de não dirigir, as vezes me importo quando me limita no direito de ir e vir. Mas grande parte das vezes não me importo. Por uma única razão. Meu balé estaria prejudicado, limitado a obrigação da concentração. Quem disse que quero me concentrar? Concentração é o limite de onde se pode ir. Um foco estático.  Sem abrangencia. Um único objetivo.  Me encanta as viagems durante o dia, tirando que o som das crianças no banco de trás se engalfinhando as vezes me irrita, mas nos fones de ouvido a música é alta, poesia harmonica. Tudo me distrai, a paisagem passando rápida ao meu lado compõe o cenário. A camera a postos a espera de um vislumbre rápido de um olhar diferente sobre o óbvio. Me encanta viajar a noite, as crianças dormem, a música rica em detalhes, a camera descansa, o balé continua ritimado por pensamentos. Movimento.

Hoje na marginal, no caos de concreto de São Paulo, mais uma obra. E a cidade agora cresce para cima. As ruas correm sobre nossas cabeças. Uma certa tristeza em não ter mais somente o horizonte a nossa frente. E lá do alto da cidade queimava no céu cinza megalópole em todos os tons de lua cheia. Sobre o caos de sons, fumaça e faróis imperiosa lua. Como ter foco? Ela ali ditando os rumos vermelha, farol no horizonte. Quantos ali estavam dispostos a se impregnar de beleza? Se banhar de lua cheia?
Concentração? Para que foco? A única coisa que quero no chão são pneus.

6 comentários:

  1. Ô coisa boa de ler, Katia. Acabei viajando nessa tua viagem linda com detalhes poeticamente escritos. E quase me pego,feito você, nessa dança das pernas...:o) um verdadeiro balé nossas pernas mesmo rss.
    Maravilha. Adorei!!!!

    É um luxo não precisar dirigir no dias de hoje. Aproveita!
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. kkk Não dirigir é uma opção... as vezes me revolto comigo mesma resolvo abandoná-la... mas.. enfim, enquanto me é comodo vou levando kkk obrigada Su... bjs

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que texto! Meu deus! Viajei aqui só de lê-lo!
    Você tem um daqueles dons raros, de quem consegue transformar a vida cotidiana em poesia. Parabéns!
    Lindo seu texto!
    Eu também gosto demais de viajar... hehe! Mas no momento nem posso dirigir, tenho 17 anos, então não é uma opção não dirigir... Mas vc tem razão: não dirigir e poder viajar fazendo balé é muito bom! xDD!!
    Parabéns pela postagem!

    ResponderExcluir
  5. Feliz que tenha gostado Mariana.... não foi dificil tirar palavras com a lua que eu vi rs... bjão.

    Su o comentario removido era duplicidade do primeiro...bjão.

    ResponderExcluir
  6. Vc se superou !

    Extremamente "on the road"

    bjo

    ResponderExcluir