domingo, 30 de agosto de 2009

Artistas da vida.

     Ia escrever um email. Dirigido a uma amiga, mas de repente me dei conta que não é a única artista em minha vida, de repente me dei conta de que vivo rodeada deles. E todos eles com suas importancias para a minha arte. Então enderecei o email para mais dois amigos artistas e mais uma vez me senti eliminando pessoas. Mais uma vez senti que deveria abranger mais, então resolvi postar, postar para todos os artistas em minha vida, ou em mim, ou que me rodeiam, ou que de alguma forma mesmo que com poucas linhas tenham colocado em mim sua arte.

    Vi o filme "Poucas Cinzas" baseado em agumas confissões de Dali sobre Lorca. E analisei sem querer a relação da arte na vida dos artistas, o entrelaçar entre as palavras e as cores com as reais circunstancias de suas vidas. E me identifiquei muito. A frase que condenou Frederico Garcia Lorca será que ainda hoje não condenaria a cada um de nós meus caros amigos? Ainda hoje em 2009, onde supostamente temos liberdade de expressão, liberdade de opção ou desejo sexual?, supostamente temos a liberdade de escolher o rumo que nossas vidas e artes irão tomar. Ou de olhos vendados ainda nos subjulgamos ao que nos adequa melhor?

    Essa frase calou uma voz importante; "mais perigoso com a caneta do que outros com o revólver"

    Ainda hoje, existem as mordaças e mesmo assim prefiro o perigo.




Estreou nos Estados Unidos, no último dia 8 (sexta), o filme Little Ashes (Poucas cinzas), que conta a trajetória do pintor surrealista espanhol Salvador Dali partindo dos 18 anos de idade.  A produção alternativa mostra as confusões e questionamentos do artista durante a primeira guerra mundial, época onde vários assuntos não podiam ser discutidos abertamente, e agora são expostos pelo filme. Um desses assuntos é o homossexualismo que Dali negou até a morte. Ele teria tido um suposto romance com o escritor Federico García Lorca, que foi um grande ídolo do pintor. Lorca assumiu sua paixão por Dali publicamente, mas Dali garantiu ter rejeitado suas investidas. Segundo a versão do filme, que dá direito a cenas de sexo entre os personagens, o romance aconteceu mesmo. (fonte http://www.cinemenu.com.br/)

itfrases.gif (1672 bytes) "Mas o que vou dizer da Poesia? O que vou dizer destas nuvens, deste céu? Olhar, olhar, olhá-las, olhá-lo, e nada mais. Compreenderás que um poeta não pode dizer nada da poesia. Isso fica para os críticos e professores. Mas nem tu, nem eu, nem poeta algum sabemos o que é a poesia." (Garcia Lorca)



O POETA PEDE AO SEU AMOR
QUE LHE ESCREVA
Amor de minhas entranhas, morte viva,
em vão espero tua palavra escrita
e penso, com a flor que se murcha,
que se vivo sem mim quero perder-te.
O ar é imortal. A pedra inerte
nem conhece a sombra nem a evita.
Coração interior não necessita
o mel gelado que a lua verte.
Porém eu te sofri. Rasguei-me as veias,
tigre e pomba, sobre tua cintura
em duelo de kordiscos e açucenas.
Enche, pois, de palavras minha loucura
ou deixa-me viver em minha serena
noite da alma para sempre escura.
( tradução:  William Agel de Melo )

"No mais tudo em paz, hoje e sempre Amém"






Blogged with the Flock Browser

4 comentários:

  1. Kátia, ameiiiiiiiii que ótimo texto, fotos, argumentações,depoimentos....

    O filme é realmente maravilhoso, uma grande lição mesmo!( há tanto tempo que assisti e, lembrei-me rapidamente)

    apesar de meu questionamento quanto a "ser artista",
    mas não é o caso aqui, esse sim é pra um longoooooo e-mail, ou quem sabe fazer um workshop KKKKKK

    ResponderExcluir
  2. O filme que assiti (há muito tempo, provavelmente não é esse,( já que estreou agorinha, rsrsrs, só se for uma refilmagem, ou então algo semelhante, pois o assunto é o mesmo... veja na programçaõ do SESC-TV eles sempre reprisam, junto com "A vida de Modligiani, CONFUSÕES A PARTE, a maioria dos fimes que retratam a vida de Lorca são maravilhosos e de grande questionamento.
    valeu Dona Kátia

    ResponderExcluir
  3. Olá . Gostei muito . Vivo rodeado de burocratas . Não me percebo como artista . Definições importam ? Acho que sim . Lindo o poema que fecha teu texto .

    Bom feriado . ( e cívico ;P )

    ResponderExcluir
  4. Oi Katia!
    Anotei teu nome, mas faltou tua cidade. Boa sorte.
    Preciso me perder pelo teu blog. Muito bom!
    Abraço.

    ResponderExcluir