domingo, 31 de maio de 2009

Paraíso.


Por que me acusa?
É tão distante assim a terra onde vivo?
Onde planto minhas projeções?
Fantasia.
Ficcção.
Tão distante assim?
Terra do nunca.
Não há lei;
Não há obrigações.
Não me obrigue.
Não posso satisfazer as suas fantasias.
Travestir a essencia.
Novas formas e cores para as correntes.
As vendas não são minhas.
São suas.

Um comentário:

  1. Oi Kátia

    Antes de de me recolher resolvi te fazer uma visita .

    Sabia que não é fácil comentar o que escreve ? Tenho que ler e reler ;)

    beijos e boa noite !

    ResponderExcluir