segunda-feira, 13 de abril de 2009

Perigo.


Sou o pensamento póstumo.
O fim da linha.
Sou o porto seguro
e o limite da perdição.
Sou seu eu escondido.
Seu elo com o infinito.
Eu.
Eu sou o que rejeita.
E sou o que almeja.
Sou o que te espera no fim da fuga.
O que procura no fundo do abismo.
Sou o caos dos sentimentos.
O que te impulsiona nos desafios.
Sou o diabo que te tenta;
E o anjo que te estende os braços.
Sou o outro lado da ponte.
Sou a dúvida do amanhã.
Busque onde buscar.
Negue o que negar.
Sou sempre o que vai encontrar.

4 comentários:

  1. Kátia, interessantíssimo, e, claro, poeticamente delicioso.
    Perigo... e caso dos sentimentos, forte isso, bonito isso...penso que "é preciso viver isso".

    ..é preciso ter o caos dentro de si para fazer nascer uma estrela.FN.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Viver esse perigo, sei não... no momento não... no momento é hora da minha concha...

    ResponderExcluir
  3. O perigo é o que nos faz ficar afastados do abismo, e ao mesmo tempo querer chegar perto dele!!! Parabéns Katia, estou te descobrindo aos poucos!!!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Marli... sou multifacetada rs... bjão

    ResponderExcluir