segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Lições


Descobri sobre a hereditariedade.
Descobri sobre a genética.
Pelo menos a minha.
Aprendi com minhas avós. Com os exemplos de minha mãe.
Com a impulsividade e liberdade de meu pai.
Descobri talvez com aquele sonho da caixa que herdei da Dona Lourdes, que não tenho coragem de abrir e nem sei o que tem dentro.
Guardar em mim esses sentimentos são corrosivos.
Cancerígenos.
Mortíferos.
Aprendi com a "explosão" da Flecha e da Pedra.
Já gritei, chorei, pedi perdão, implorei.
Hoje não.
Passou, há uma paz que aprendi.
Perdoo.
Sigo em frente, com a certeza que jamais... jamais vou me apaixonar ou amar alguém que não tenha comigo laços consaguineos.
Pedra, fogo, eu.
Fere e cura.
Porém segura.

Um comentário:

  1. Kátia, seu poema é maravilhosooooooooooooooooooooo, li rapidamente, depois respirei, li novamente.......novamente, e novamente.........bela imagem na minha memória. agradeço.

    leia no -email algo particular...rs
    bjs

    ResponderExcluir