sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

O Beijo


Rolei na cama por diversas vezes tentando encontrar a melhor maneira de para permanecer ali, evitar o calor que insistia em propagar pelo quarto, em certos momentos tomada por um frio inesperado.

A sensação cálida envolvia todo meu corpo, levitando. As borboletas não voavam no estômago, o arrepio não correu pela espinha e não fui tomada pela surpresa. Somente a imagem, o cheiro e o toque leve nos lábios. O beijo calmo, sem o rompante apaixonado. Somente um beijo, tranquilo, consentido, lento e sincronizado. Invadiu todo o corpo, lânguido.

A manhã insistiu em avançar, passou. A tarde rompeu me empurrando para fora da cama. E eu ali, tentando prorrogar o sonho. Prorrogar o beijo.

2 comentários:

  1. Bela divagação...belo texto: delicado ...perturbador. é isso. abs.

    ResponderExcluir
  2. Emocionante texto!Seu estilo é muito bonito.Abraços!!!

    ResponderExcluir