terça-feira, 24 de junho de 2008

O Abismo


As folhas perderam o viço.
Há uma atmosfera banhada em cinza.
Nublado.
A chuva fina lá fora,
rouba qualquer poesia.
As folhas mortas e úmidas,
seus farfalhar já não são músicas.
Estremeço.
É frio.
Atirei-me de olhos vendados,
a um poço profundo.
As lembranças são castelo de areia contra as ondas.
Paixão ósculo do abismo.
Meias palavras.
Vácuo.
Lapso no tempo.
Ontem.
Silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário