quinta-feira, 15 de maio de 2008

O Futuro só a ele mesmo pertence.


O futuro é o cara mais estranho que eu conheço.
Nunca avisa quando chega. Quando penso que ele entrou já saiu.
Só me acerto com ele se estiver só. Não dá para dividir atenção, ele exige exclusividade.
E cobra, cobra e cobra.... se sustenta de cobranças .
Sempre exigindo.
Sempre vivi em função dele.
Sempre preocupada com o que ele me oferece.
De repente me dei conta que ele não me oferece nada.
Que o que eu sempre achei que seria minha vida é o que vai ser, com ou sem Futuro.
Não há como mudar isso.
Cansei de rastejar a seus pés e implorar que as coisas sejam um pouquinho como eu penso.
Se o Futuro só a Deus pertence.
Se é egoísta o bastante para enxergar somente a ele mesmo.
Abro mão do Futuro.
Estou entregue a Sorte.
As voltas com o Acaso.
Pacientemente à espreita da Oportunidade.
E assim terei o total domínio de mim mesma.
Terei algo só para mim.
E o Destino só a mim pertencerá.

" Todo o meu modo de viver está orientado exclusivamente para a criação literária. O tempo é escasso; as forças são exíguas; o escritório é um pavor e o lar é ruidoso." Escreve-se apesar do cotidiano. Apesar dos obstáculos."
Apesar do nós mesmos" - Franz Kafka

Tudo sobre mim. Do que quero para mim. Do meu caso amoroso como o Futuro.



Nenhum comentário:

Postar um comentário