sexta-feira, 9 de maio de 2008

Mãe


Seria lindo eu aqui falando da minha mãe. Qual a novidade nisso?
Para mim nenhuma, primeiro que ela não leria, não sabe nem ligar o estabilizador do micro. Segundo ela é minha mãe e c/ ela eu me entendo, ou desentendo... ou tento entender, ou simplesmente lavo minhas mãos, ou me descabelo, enfim ... é "minha mãe". Terceiro eu não sei como ela enxerga a maternindade. É uma coisa particular dela.

Então vou falar da Katia mãe.

Todos os meses a Katia, com cerca de 20 anos, achava que estava grávida. Todos os meses enjoava. Todos os meses tinha todos os sintomas de gravidez até que um dia todo aquele castelo que ela criava se desmoronava em lágrimas de um útero frustrado. E assim foram se passando mês após mês até os 22 anos. Chegando as vias do marido proibí-la de comprar testes de gravidez.

Não tinha outra ambição na vida.
Vocação não tinha nenhuma, nem cantar, nem desenhar, nem escrever, nem queria prestar o vestibular pois não tinha nenhuma idéia de profissão. Sua única vocação... ser mãe.
Não importava se o marido queria ou não, não importava se teria de criar sozinha ou não, não importava nada. A única certeza que tinha na vida... queria ser mãe.

Ultima saída para ser biológicamente mãe seria tentar um tratamento. Ok. Fazer tratamento. Muito caro. Começando a vida. Um monte de coisas para comprar para casa, sem casamento civil ou religioso não se ganha presentes, tem que comprar tudo. Tinha a reforma da casa. Não tinha cama, só um colchão no chão. Mas enfim, ela tinha sua prioridade. Egoísta? Sim, mas era sua prioridade. "Agora seja o que Deus quiser" - foi o que ela pensou.

Marido músico. Músico é sinônimo de instabilidade financeira. Hoje é caviar, amanhã já não se tem certeza. O músico costumava ganhar bem em carnaval. Então resolveram esperar o carnaval para poder pagar os exames para tentar o tratamento.

Primeiro exame, necessário estar menstruada. Passou o carnaval e vamos esperar o dia da menstruação... passam 10 dias... passam 20 dias ... o marido começou a passar mal, enjoando muito. Passado 2 dias ela também enjoando muito. Uma virose? Provavelmente. Inicio de inverno, normal certas viroses atacar.
A mãe resolve que é hora de fazer um exame para constatar gravidez. Imagine só, impossível. Compraram um teste de farmacia (escondido é lógico, por que estava proíbido). 5 horas da manhã Katia levanta e faz o teste, fica olhando a janelinha daquela canetinha ficando com um risco azul - bom um é normal -; A atenção fica toda na outra janelinha, um risquinho sutil, como um fantasminha brincando com a imaginação vem surgindo. Coração dispara. Porém como toda devota de São Tomé ela "tem que ver para crêr" - e lá está ele. O outro risco azul gritando a toda sua azulidade.
Ali nascia a Katia mãe.
A Katia grávida, decididademente não é a melhor grávida que se pôde ter notícias. Não dormia cedo, comia o que lhe dava na venêta, levantava tarde, varava a noite em bailes de barriga de fora. Aliás a Katia não nasceu para ser grávida. Pula essa parte.
A Katia mãe.

O Homem não tem cólicas, não menstrua, não tem TPM, não tem hímem, celulite, não tem dor de parto. Mas se tem uma coisa que o homem nunca, nunca vai ter o prazer que só algumas mulheres tem é de amamentar.
O prazer é o prazer mais sublime que se pode imaginar. O prazer de sentir que aquele serzinho pequenininho depende somente de você. E as mãozinhas apertanto o seio enquanto olha nos olhos da mãe. E quando eles com o mamilo na boca tentam conversar com a mãe. E os olhinhos vão virando e se fechando até que caem num sono profundo e abandonam o seio, lânguidos, exaustos e satisfeitos. Quando chegou o momento do desmame, sofreu. Não pelos pequenos que já comiam de tudo e tinham 1 e 2 anos, sofreu por ela mesma. Sofreu por se privar do maior prazer que ela conheceu. Sofreu porque agora não dependiam somente dela.
Eles crescem e é costume ouvir... "quanto mais o tempo passa mais trabalho eles darão".
Katia não acredita nisso.

Eles crescem e as fases mudam.
Hoje a primeira filha dela tem 9 anos. Lethica Emanoelle - Lethicia por significar alegria e Emanoelle em homenagem ao avô da Katia que não chegou a conhecer a bisneta. Resumindo o nome da Lethicia no seu significado é: Alegria Deus está conosco. Menina exigente, não se conforma se a nota for inferior a 9, uma pequena poetisa. Mãe e filha tem seus rituais, dançam juntas, escrevem juntas, tem pequenos segredos, cozinham juntas.

O menino tem 6 anos. Andrey, Guerreiro Valente. Pequeno hacker. Rápido. Companheiro. Diz que quando se casar ele vai dormir com a mulher dele, mas vai ficar um pouquinho na cama da mãe para por a mão no pescoço dela, só um pouquinho. Todos os dias ele quer assistir Dr. House com a mãe. Um dia ela perguntou a ele: " Você vai ser médico?" ele respondeu que não que só queria deitar lá juntinho dela e ficar agarradinho enquanto ela assistia.

A Katia mãe paga micos. King Kongs por seus filhos se isso os deixar felizes. E os paga feliz da vida, não está nem aí se tem pessoas rindo.
A Katia mãe move montanhas por seus filhos
A Katia mãe mata e morre por eles.
Mas não pára por aí, Katia não tem mais intenção nenhuma de gerar outra criança em seu ventre. Porém não quer só dois filhos. E com o apoio dos filhos um dia virá quem sabe um filho de outra barriga. Um filho escolhido e filho do coração. E quem sabe há de se chamar Miguel.
A Katia estava certa. Sua vocação verdadeira era ser mãe. As outras são complemetares.

Aos meu filhos.
Lethicia e Andrey, que são a razão da minha vida. E que são o motivo de eu receber os parabéns no domingo. Dia das mães.

Um comentário:

  1. Cintia Fuladormaio 21, 2008 9:33 AM

    Lindo!!! Ká, feliz dia das mães atrasado......... beijos. Cintia

    ResponderExcluir