segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Indignação I


Abraão, a esposa Sara, e Agar, a concubina egípcia de quem teve o filho Ismael.


Hoje recebi uma correspondência de um advogado para eu assinar, uma declaração. Juro mesmo se não envolvesse entrada de dinheiro em caixa eu não assinaria. Vinha assim:
" Eu Katia Mota, declaro para os devidos fins que, blá, blá, blá, blá...., amasiada, ...."

Em certa ocasião eu impedi debaixo de muitas batidas de pé que meu registro de trabalho fosse feito com os seguintes termos: Amasiada ou regime de concubinato.
Segundo meu amigo MIchaelis os termos significam:

Amásia - a.má.sia
sf (lat amasia) Amante, concubina.

concubina - con.cu.bi.na
sf (lat concubina) 1 Mulher ilegítima; amásia, barregã. 2 Rameira. 3 Bot Variedade de tulipa. Var: concubinária.

Regime de concubinato não precisa dizer muita coisa, porém vamos lá:
concubinato
con.cu.bi.na.to sm (lat concubinatu) Estado de um homem e uma mulher que coabitam como cônjuges, sem serem casados; comborçaria, concubinagem, mancebia. Bom isso sem entrar em mérito as outras palavras. Ou a língua portuguesa é difícil demais para entender ou os termos são pejorativos. Na minha humilde opinião, que eu faço valer por sinal, acho que assim como casamento, noivado, namoro, deve-se inventar um termo menos agressivo, ou machista, ou seja lá o que for, para uma relação que não teve interferência Civil ou Religiosa.

Vou acabar fundando uma ong. "abaixo aos termos pejorativos". Será que só eu que me importo com isso?

Um comentário:

  1. De fato, Ká!! Esse e outros termos deveriam ser afastados pela carga negativa que trazem consigo.

    Acredito que no caso, "companheira em relação de União Estável" seria mais, digamos, "bonitinho". E técnicamente não seria errado, pois, esposa pressupõe "justas núpcias" e solteira pressupõe independência financeira em relação a qualquer pessoa.

    Fico indignado junto com vc!! Aehuaeh!! E vida longa ao seu Blog!!

    Um beijão!!!

    ResponderExcluir